terça-feira, 2 de março de 2010

Globo,sempre ela [e nós? ]

 Hoje recebi em meu e-mail uma mensagem reencaminhada por um famíliar com o seguinte conteúdo (título do email 'Globo sempre ela'):

Obs: imagens acrescidas por mim, para mera ilustração.

"Graças a Deus, não assisto a nada disso!!!
Misericórdia!!!!

Saudações!


... sobre a programação da Rede Globo, do padrão de qualidade, da audiência, do investimento gigantesco em publicidade e das inúmeras repetidoras espalhadas no Brasil e no mundo. Acontece que a Globo, com todo esse poder de penetração na sociedade e dentro de nossas casas, vem introduzindo, silenciosamente, uma cultura de libertinagem, traição, adultério e rompimento com a célula familiar de forma sutil. Com o advento do BBB10 a Globo conseguiu o que ela vinha tentando há muito tempo, o beijo gay ao vivo. Em duas cenas do BBB 10 aconteceram dois beijos Gay e quando um deles foi "líder" a produção do programa teve o cuidado de colocar sobre uma estante a foto do beijo, com isso a Globo faz com que seus fiéis telespectadores vejam o beijo gay como algo comum e engraçado, ou seja, aceitável.


Agora, nas novelas globais o beijo gay vai acontecer, induzindo esse comportamento aos jovens e adolescentes, induzindo legisladores a criarem leis que abonem tal comportamento.


No mesmo BBB 10 uma das participantes declarou-se lésbica e com essa declaração todas as demais mulheres do programa se aproximaram dela sendo protagonizado o selinho lésbico no programa e todos os demais a apoiaram sob o manto sagrado do não preconceito.


Na novela Viver a Vida o tema principal mostrado de forma engraçada e aceitável é a da traição e do adultério. A Globo leva ao telespectador ao absurdo de torcer para que um irmão traia o outro ficando com sua namorada. A traição nessa novela é a mola mestra da máquina, todos os personagens se traem, e isso é mostrado de forma comum, simples, corriqueiro.


Mas talvez, a investida mais evidente e absurda esta na novela das 6h, Cama de Gato. A Globo superou todos os limites nessa novela ao colocar como tema uma música do grupo Titãs. Na música, nenhuma linha de sua letra se consegue tirar algo de poético, de aconselhável pra vida ou de apoio. A letra da música faz menção discarada do Inimigo de nossas almas que deseja entrar em nossa casa (coração) e destruir tudo, tirarem tudo do lugar (destruir a célula familiar e nossa fé).


A música chega ao absurdo de dizer que devemos voltar à mesma prisão, a mesma vida de morte que vivíamos.

Amados amigos, fica o alerta, às vezes nem nos damos conta do real propósito de uma novela, de um programa, de uma música, e como Jesus esta às portas, as coisas do mal estão cada vez mais evidentes e claras. Até os incrédulos estão percebendo que algo esta errado.


Aproveito para trazer ao conhecimento a letra dessa música, cuidadosamente escolhida pela Globo para servir de tema da dita novela;


Música de abertura da novela Cama de Gato.

Vamos deixar que entrem Que invadam o seu lar
Pedir que quebrem Que acabem com seu bem-estar
Vamos pedir que quebrem O que eu construi pra mim
Que joguem lixo Que destruam o meu jardim
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
Vamos deixar que entrem Que invadam o meu quintal
Que sujem a casa E rasguem as roupas no varal
Vamos pedir que quebrem Sua sala de jantar
Que quebrem os móveis E queimem tudo o que restar
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro O mesmo desespero
Vamos deixar que entrem Como uma interrogação
Até os inocentes Aqui já não tem perdão
Vamos pedir que quebrem Destruir qualquer certeza
Até o que é mesmo belo Aqui já não tem beleza
Vamos deixar que entrem E fiquem com o que você tem
Até o que é de todos Já não é de ninguém
Pedir que quebrem Mendigar pelas esquinas
Até o que é novo Já esta em ruinas
Vamos deixar que entrem Nada é como você pensa
Pedir que sentem Aos que entraram sem licença
Pedir que quebrem Que derrubem o meu muro
Atrás de tantas cercas Quem é que pode estar seguro?
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro O mesmo desespero

Imaginem tudo isso entrando em sua casa... Quando você liga sua televisão, você abre uma janela para entrar em sua casa coisas boas ou ruins - isso é uma questão de escolha.
Imaginem nossas crianças cantando isso? Trazendo isso pra dentro do coração e da alma delas? Imaginem você cantando isso?
Tente imaginar de onde o compositor dessa "pérola" tirou inspiração para compôr tamanha afronta?


Ai pergunto, pode porventura vir alguma coisa boa da Rede Globo?


Pensem nisso, anunciem isso, façam conhecer, livre malguns dessa humilhação, dessa opressão, dessa falta de futuro, dessa cela de prisão.
Se você ama a sua família comente isso com os seus filhos e não deixe os seus amigos de fora. Esta situação não pode continuar.


APROVEITANDO O GANCHO =P

Bom diante dessa 'indignação' toda eu compreendi o que a pessoa quis dizer, mas gostaria de acrescentar um pouco da minha visão sobre o assunto, e por isso respondi o e-mail a pessoa que me enviou e agora posto aqui no blog o conteúdo de minha resposta com alguns acrescimos:

Oi boa tarde.

Concordo com tudo o que escreveram, mas já parou para pensar que enquanto os artistas, intelectuais, roqueiros, músicos em geral, diretores, etc. Estão produzindo todas essas visões de mundo por meio da TV, revistas e afins, nós crentes em Cristo não estamos contribuindo com nada?

Tudo o que estamos fazendo é: não entrando no debate nos campos da sociedade que vivemos.

Estamos produzindo arte pra crente ver. Pregando para crente ouvir. Compondo pra crente cantar.

Infelizmente fizemos distinção do 'politicamente' sacro e o 'politicamente' imundo, sem considerar que Deus nos olha em nossa inteireza e não por fragmentos, pois somos seres-humanos completos, servindo outrens através de nossa devoção. (fazei tudo como se fosse ao Senhor).

Toda boa dádiva provem do Senhor que nos agracia com dons e talentos natos. Alguns se dão bem escrevendo, outros tem uma voz maravilhosa, outros tocam instrumentos sublimemente, outros desenham bem, etc. Acredito que precisamos utilizar estes dons não apenas para produzir o que é claramente rotulado como "cristão" e assim descartado e deixado de canto como algo que não acrescentasse a arte e afins.

Concordo que devemos "provar tudo e reter o que é bom", mas estamos produzindo o bom como alternativa?

Precisamos despertar nossos irmãos a saírem do campo das acusações e recusas do que é bom e participar criticando positivamente de forma que as pessoas não nos olhem mais como os alienados que nada tem a acrescentar. Sim apaixonados por Cristo, mas respeitados e ouvidos, como os irmãos Martin Luther King Jr (sobre este Steven Spielberg tem projeto de filme), C.S.Lewis, U2, Paul Brand, Steven Turner,etc. Precisamos com nossa cosmovisão contribuir para a humanidade de forma a constrange-los a olhar também para Deus. Desencostar as pessoas da parede antropocêntrica e colocar Deus novamente na conversa.

Infelizmente nossa arte esta morrendo ao manifestar-se apenas nos guetos religiosos (comunicamos apenas a minorias religiosas) e subcultura cristã, sendo que temos um grande campo 'branco' para a ceifa. Poucos são os trabalhadores que querem sair de 'casa' para ir a busca.

Cristo é o Senhor. E isso é muito amplo. Cristo o Senhor em tudo: arte, ciência, serviço social,etc... não apenas de nossa espiritualidade.

Somos todos protagonistas de Deus na peça da vida. Colaboradores no tecer da história humana. Criados em Deus para sua Glória. Vamos baixar as guardas de nossos pré-conceitos religiosos e viver a vida de Cristo de verdade!

"A religião sem a ciência é cega. A ciência sem a religião é manca" - Albert Einstein

"E ninguém, acendendo uma candeia, a cobre com algum vaso, ou a põe debaixo da cama; mas põe-na no velador, para que os que entram vejam a luz." - Jesus Cristo

"Precisamos dizer aos jovens que os melhores livros ainda serão escritos; as melhores pinturas ainda serão realizadas; os melhores governos ainda serão formados; o melhor ainda está por ser realizado por eles." - John Erskine

forte abç amo vocês

3 comentários:

Cha Souza disse...

Realmente devemos quebrar essa barreira, de que musica vinda de um Cristão só pode ser pra outro Cristão e que aborte uma santidade humana inexistente, as redes de comunicação, sabem utilizar dos dramas pra chamar atenção dos demais, agora, o lado humano perante os dogmas deve ser encarado com algo que é pecado? Devemos ir a luta e correr atrás de quem está sofrendo, não de quem sente uma falsa alegria!

Wil Max disse...

muuito bom Everton... vejo que ler livros tem te ajudado bastante a expandir suas idéias e mudar seus conceitos.... também preciso ler bastante, e vejo que vc é um brother que eu consigo conversar, dialogar na boa porque vc me entende mais que qualquer um... nossas ideias se batem, valeu brother... té maiis

Eder Barbosa de Melo disse...

Graça e paz!

Tema bastante pertinente, esse abismo cultural é um desserviço. Muitos paradigmas precisam ser quebrados nas comunidades cristãs. Que sejamos conforme o modelo de Cristo, não livres do mundo, mas livres do mal. Tem muito poeta secular produzindo boa música, e muito cristão entoando melodias sofríveis, música descartável. O nosso cristianismo não pode se enclausurar na mesmice, creio que a Igreja pode fazer a diferença no mundão, sem perder a identidade.


http://recortecotidiano.blogspot.com/